Febre Amarela: gestores municipais discutem estratégias para vacinação

Campanha Estadual de Vacinação contra a doença deve ser lançada nesta segunda-feira (03)
(Foto: Divulgação)
   A mobilização da sociedade para a vacinação contra a febre amarela foi discutida entre gestores municipais de saúde de diferentes regiões do estado durante encontro convocado pela Secretaria de Estado de Saúde, com o objetivo de traçar as medidas a serem adotadas nos municípios nesta nova fase da imunização no território fluminense.

   "Com a garantia de fornecimento de doses pelo governo federal, será possível fazer com que o RJ dê início à próxima etapa de vacinação contra a febre amarela. Desde o início do ano, estamos adotando uma série de medidas preventivas, com base na avaliação constante do cenário epidemiológico em nosso estado e nas regiões de divisa. Graças a este planejamento dinâmico, o RJ apresenta, atualmente, boa cobertura nas áreas consideradas mais vulneráveis, ou seja, nas zonas rurais e localidades próximas às matas. Nesta próxima fase, os esforços devem ser focados em garantir na expansão da imunização, visando à proteção das pessoas que vivem nas demais regiões, além de concluir a cobertura nos municípios que consideramos prioritários", disse o secretário de Saúde, Luiz Antonio Teixeira Jr.

   A expectativa da secretaria é lançar, nesta segunda-feira, 3 de julho, a Campanha Estadual de Vacinação contra Febre Amarela, com Dia D a ser realizado em todo o estado no sábado, dia 8 de julho. O Dia D terá como missão chamar a atenção da sociedade para a importância de se proteger contra a doença. A estimativa é de que, entre julho e dezembro, entre 5 e 6 milhões de pessoas devam buscar os postos de saúde para se vacinar.

   No início deste ano, antes mesmo de terem sido registrados casos de febre amarela no território fluminense, a Secretaria de Estado de Saúde solicitou formalmente ao Ministério da Saúde que o RJ fosse incluído na área de recomendação permanente de vacinação. Desta forma, a expectativa é de que, a partir de 2018, o imunizante passe a fazer parte do calendário de rotina no estado.

   "Como preconizado pela Organização Mundial da Saúde, o Brasil passou a adotar a dose única da vacina contra a febre amarela, que garante a proteção do indivíduo por toda a vida, assim como já ocorre internacionalmente. Portanto, quem já se vacinou, não importa há quanto tempo, não precisa se vacinar novamente. Este é o momento de intensificar as ações e reforçar a importância da vacina junto à população ainda não imunizada. A vacina contra a febre amarela é segura e apresenta alto índice de eficácia. Com sua inclusão na rotina vacinal no estado, a partir de nove meses, as crianças que nascerem no Rio já poderão ser imunizadas", explicou Alexandre Chieppe, subsecretário de Vigilância em Saúde.

Integração focada na conscientização

   A vacina contra a febre amarela é a melhor forma de se proteger contra a doença. Considerado seguro e altamente eficaz, o imunizante produzido no Brasil já foi utilizado em diversos países do mundo. Por meio de seus canais de comunicação, a SES disponibiliza constantemente conteúdo informativo, com objetivo de esclarecer dúvidas e orientar a população sobre o assunto. Para convocar a população para a campanha, peças digitais serão disponibilizadas para utilização pelas prefeituras, com base nas suas estratégias específicas de vacinação e divulgação. Todo o conteúdo produzido é disponibilizado pelos sites da secretaria: www.conexaosauderj.com.br e www.febreamarelarj.com.br.

Casos no RJ

   Entre janeiro e 28 de junho deste ano, foram registrados 23 casos confirmados de febre amarela transmitidos no território fluminense, sendo oito óbitos. Em todo o estado, foram confirmados casos de morte de macacos pela doença em nove municípios.

Compartilhe

Notícias Relacionadas

Próxima
« Seguinte
Anterior
Anterior »

Itaocara em Foco